<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1032111680290401&amp;ev=PageView&amp;noscript=1 https://www.facebook.com/tr?id=1032111680290401&amp;ev=PageView&amp;noscript=1 ">

Como consolidar fluxos de frete de várias empresas

Artur Alves | 31. out 2019
3 minutes read

Pode estar a pensar qual a necessidade de escrever um artigo sobre um conceito que já faz parte das melhores práticas em logística há bastante tempo.

Todos os envolvidos em transporte e logística sabem que a consolidação de carga é um conceito bastante linear e maduro. Diz respeito ao acondicionamento ou agregação de pequenas expedições numa expedição maior para ser distribuída na mesma localização final. Pode igualmente significar a combinação de carga de um ou vários expedidores num único contentor de transporte. Uma “condição” subjacente é que todas as mercadorias devem ter um formato sólido externo e, simultaneamente, não pode ser dividida durante o transbordo.

Ao analisarmos esta última parte (não pode ser dividida durante o transbordo), aproximamo-nos do assunto deste artigo.

 

Vamos aumentar as taxas de preenchimento!

As taxas de preenchimento no transporte rodoviário europeu são de aproximadamente 50%, e muitos camiões circulam vazios. Como tal, a consolidação atual no transporte não contribui para uma utilização correta dos recursos de transporte. Isto pode dever-se ao facto de “não poder ser dividida durante o transbordo”, o que significa que a consolidação tradicional se foca em paletes e não na unidade logística mais utilizada atualmente, que é o volume.

No comércio atual, o número de expedições cresce dramaticamente, mas cada expedição (ou encomenda) torna-se cada vez mais pequena, devido principalmente ao crescimento do comércio eletrónico. A tendência para expedições cada vez mais pequenas e para recursos de transporte não utilizados da forma mais correta deu origem ao conceito de Internet física. Neste caso, os volumes são movimentados eficaz e eficientemente através de uma rede de terminais, em que os recursos de transporte são bem utilizados.

Os terminais na Internet física devem ser capazes de acondicionar e agregar carga de vários (muitos mesmo) expedidores, para que o camião ou contentor utilizado para movimentar carga entre terminais esteja sempre cheio. A carga que se destina ao mesmo endereço é consolidada toda junta. Na Internet física e em outras operações logísticas modernas, a consolidação deixou de estar restrita ao processamento de paletes. O foco está no volume, e todas as unidades logísticas estão a “decompor” em volumes individuais antes da consolidação. A solução MIXMOVE Match gere esta consolidação e reconstrói as operações num vasto número de hubs por toda a Europa.

 

a-person-wearing-an-orange-t-shirt-is-delivering-

 

Como consolidar então carga de várias empresas na era da distribuição por volumes?

Em primeiro lugar, cada volume (e outras unidades logísticas) deve ter a sua própria identificação única. A utilização do código SSCC da GS1 garante unicidade.

Em segundo lugar, o terminal no qual irá ocorrer a consolidação tem de receber informações sobre as mercadorias recebidas. Por fim, necessita de um sistema de gestão que torne o processo de consolidação eficaz, algo que a MIXMOVE Match pode fazer.

É utilizada em redes de um único fornecedor para aumentar os fatores de carregamento (a 3M aumentou os fatores de carregamento de 45% para 90%) em trajetos de longo curso. Para além disso, pode ser utilizada em terminais para distribuição urbana, em que a carga de vários expedidores é agrupada em terminais de consolidação antes de ser movimentada para destinatários nos centros das cidades. Isto irá ajudar a reduzir o número de veículos necessários para estes movimentos dentro das cidades.

 

Descarregue uma checklist gratuita

 


English Dansk Español Polski