<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1032111680290401&amp;ev=PageView&amp;noscript=1 https://www.facebook.com/tr?id=1032111680290401&amp;ev=PageView&amp;noscript=1 ">

A Internet física - novas cadeias de abastecimento emergentes

Patrick Van De Vyver | 16. abr 2020
4 minutes read

O conceito de Internet física (PI) ganha cada vez mais tração na comunidade logística. Vários operadores e produtores de renome estão a investir neste conceito. Estas organizações acreditam que tal com a Internet que conhecemos hoje, a Internet física irá tornar-se um elemento essencial das nossas vidas diárias no futuro.

 

Quais as características que as cadeias logísticas PI (Internet Física) vão ter?

  1. Acesso flexível a novas redes de transporte: As redes de transporte atuais são bastante rígidas. Uma alteração de parceiros ou fluxos é complicada e implica tempo e recursos. A Internet Física permite um nível de flexibilidade sem precedentes.
  2. Alternâncias dinâmicas de fluxos: Geralmente, as redes logísticas atuais usam um grupo fixo de carregadores, transportadores, operadores e instalações tradicionais. Quase não se leva a cabo qualquer otimização com base nos diferentes volumes e requisitos de serviço diários. Neste caso, a Internet física permite um grande nível de adaptação, quase no momento, face a estas alternâncias.
  3. Relação custo-eficácia: Normalmente, os custos de transporte variam entre 3% e 10% do custo das mercadorias vendidas, o que é substancial. No entanto, estes recursos de transporte não são utilizados eficazmente. Nas últimas décadas, as taxas de utilização da capacidade disponível (seja camiões, contentores ou outros ativos) situam-se entre 30-40%, e não se registam melhorias estruturais. Ao permitir um maior foco na otimização de uma rede alargada e aberta de operadores, a Internet física pode induzir melhorias dramáticas neste domínio.
  4. Flexibilidade de capacidade: Hoje em dia, quando se desenvolvem redes logísticas ou cadeias de abastecimento, existe a flexibilidade limitada para lidar com diversidade de volumes, fatores imprevistos ou com diferentes expetativas dos clientes. Essas limitações aparecem muitas vezes em armazéns (a nível de armazenamento, área disponível e pessoal) e nas redes de transporte (hubs, modos, motoristas, etc.). A Internet Física encontra-se também estruturalmente preparada para lidar com estes fatores.

 

Quais as diferenças entre a Internet de “dados” e a Internet Física?

A Internet normal é quase “gratuita”, enquanto na Internet física os diferentes serviços terão naturalmente de ser pagos. Os modelos de negócio da logística não terão de sofrer disrupções significativas. Pelo contrário, a Internet Física permitirá  operações mais otimizadas e com uma melhor utilização dos recursos e perfil ambiental..

Como é que funcionará uma cadeia de abastecimento de Internet Física avançada?

Existem vários modelos possíveis, sendo que já estão em curso experiências e operações com reais, com as seguintes características:

  1. Rede privada de fornecedores de serviços logísticos (LSP) focada num setor :
    Uma rede de operadores terá de acordar níveis de serviço comuns e requisitos operacionais. Os expedidores irão entregar e confiar as suas mercadorias a estas redes. Controlo rigoroso na avaliação das mercadorias, relatórios legais e responsabilidade terão de ser exercidos, usando os princípios da Internet Física.
  2. Colaboração entre expedidores:
    Uma vez que as redes PI se irão focar num setor ou em determinados perfis de carga, a colaboração entre expedidores tornar-se-á padronizada. Instalações partilhadas, como armazéns e unidades de transporte partilhadas, irão tornar-se uma nova realidade. Novos participantes poderão fazer parte nas redes depois de aceitarem as normas e tarifas estabelecidas pela rede PI.
  3. Planeamento da distribuição com base em Inteligência Artificial
    O planeamento da distribuição (quais os produtos e volumes que são armazenados e onde na rede PI) é uma parte integrante da rede PI. Os expedidores entregam o seu “volume de produção” à rede PI e o planeamento de distribuição é executado pela própria rede PI. A distribuição tem em conta os requisitos dos clientes, como curtos prazos de entrega, mas também a otimização do transporte de toda a rede.
  4. Recursos avançados da rede PI:
    - Merge in transit e garantir entregas consolidadas
    - Alteração no tráfego - à medida que a propriedade das mercadorias muda, os fluxos e a documentação podem ser redirecionados.
    - A documentação, os requisitos fiscais e os relatórios legais podem ser rastreados de forma flexível e eletrónica.

Numa forma mais simples, esta rede PI pode ser vista como o “Fulfilment by Amazon” (FBA), mas:

  • Executado por uma rede aberta de operadores
  • Aberta a vários expedidores com características comuns de produtos
  • Relação custo-eficácia
  • Multicanal
  • Não limitada a B2C

New call-to-action

Are you interested? Use the form to contact us or get in touch with me directly on allard@mixmove.io

allard-peeters-1

Allard Peeters
VP of Global Sales, MIXMOVE


English Dansk Español Polski